Muito além da roupa suja

Nova York – Passeando por Union Square e East Village

Um dos passeios que mais gostei na minha última ida a NY e que escapa da rota turística de sempre foi no East Village. Acho que gostei exatamente por ser um bairro mais de verdade, onde as pessoas realmente moram; não é tão comercial e nem cheio de coisas voltadas para turistas.

Green Market na Union Square

Começamos o dia não muito cedo, pegando o metrô até a Union Square. Chegando lá, estava tendo o Green Market, então demos uma olhada pelas barracas. Tem umas coisas realmente bonitas lá, pois são os produtores da região que levam a mercadoria para vender na praça. Sim, pessoal, existem pessoas plantando e criando animais na região de NY. Gosto muito desse conceito, pois é diferente das feiras que temos por aqui, onde os feirantes vão no CEAGESP, compram e revendem. É uma coisa, assim, quase medieval, né? Fora que tem muita coisa orgânica e também bastante diferenciada. Meu pai comprou um pato defumado que, diz ele, era ótimo!

Thick Chocolate Milk, do Max Brenner

Fomos tomar café da manhã no Max Brenner e foi tão bom! Eu sempre via aquele filme Chocolate, com o Johnny Depp, e ficava louca de vontade por aquele chocolate quente mega cremoso que todo mundo tomava. Poxa, em casa só tinha Nescau!

No Max Brenner, além do chocolate quente ser igual ao do filme, o lugar é realmente gostoso de estar. Para não ficar de barriga vazia, pedi também uma bowl de granola, que veio ENORME. Imagina se eu não me apaixonei pelo mel no erlenmeyer?

Taça de granola do Max Brenner

Depois, fomos descendo pela Broadway, com paradinha básica na Strand. Esta livraria engole qualquer Cultura, Saraiva ou Barnes and Nobles. São 18 milhas de livros! Tem livros super raros lá, edições antigas, áreas que funcionam como um sebo e também todos os best sellers. Realmente, se eu morasse em NY, iria lá toda semana!

Descemos até a 8th St, onde viramos na direção leste. Passamos por St. Mark’s Place. Que é suuuuuuuper legal. Só que não. Na verdade, nunca tive nenhum interesse específico nessa região, mas como estava realmente no meio do nosso caminho, é bom pra dizer que eu sei onde fica e que já conferi a existência. Já ouvi muita gente falar mil coisas como lá era diferentão, mega alternativo, radical… Mas imagine o seguinte: era uma vez a Galeria do Rock de SP, que casou com a Feirinha Hippie do Guarujá e tiveram um filho. Este filho foi criado na 25 de Março; quando crescer será St Marks Place. True story. Nada de super criativo lá. Pra não dizer só coisa ruim, entrei numa loja (acho que chamava Trash), que tinha pra vender um vestido IGUAL o que a Julia Roberts usou em Uma Linda Mulher. Preciso especificar o vestido e dizer que não era o que ela comprou na Rodeo Drive? XDD Nessa loja também tinham umas roupas bem diferentes e interessantes, nada a ver com meu estilo, mas se eu tivesse uma banda de rock ou algo assim, super compraria mil coisas por lá!

Elenco do musical Stomp, que faz o maior sucesso no East Village e no resto do mundo.

Continuamos andando e passamos em frente ao Opheum Theater, onde se apresenta o Stomp. Infelizmente, os horários do show não caberiam muito fácil no nosso roteiro, mas logo em frente a ele tem as batatas fritas belgas da Pommes Frites! Andamos pela 1st Ave, pelas beiradas do Thompkins Sq Park, mas nem chegamos a entrar pra passear no parque ou explorar Alphabet City, pois estávamos com fome e o lugar que queríamos almoçar já estava pertinho.

Almoçamos no Momokufu Noodle Bar, que vai render post, e depois fomos pegar uns cannolis para viagem no Venniero’s, que fica quase ao lado. De barriga cheia, fomos caminhando de volta ao metrô da Union Square, por outro caminho. Várias coisas interessantes pelo caminho, como um lugar chamado Artichoke Pizza. Este com certeza estará no roteiro da minha próxima viagem! Aliás, muita coisa ainda ficou para ser explorada e eu vou querer voltar para terminar o serviço, hehe.

Eu e minha mãe, passeando no East Village

O que eu vi e compartilho foi só um gostinho de East Village; a área está sendo revitalizada e não é mais barra pesada como nos anos 80 e 90 (o musical Rent, por exemplo, se passava lá). Dizem que é uma das poucas áreas de Manhattan que ainda consegue manter suas características originais e eu torço para que essa revitalização seja apenas parcial. Uma gentrificação do bem, para que o East Village nunca tenha um Starbucks por quarteirão!

 

Vai para Nova York? Pesquise no Booking mais de 800 opções de hospedagem na região!

 

5 Respostas para Nova York – Passeando por Union Square e East Village

  1. Adorei, é justamente o passeio que estou planejando. Da Eataly para Union Square e depois Washington Square com East Village (combo NoLita + NoHo). Será que minhas pernas aguentam? Bjks. PS: Tive que citar seus posts sobre os cupcakes no meu blog.

    • Obrigada pela menção e pela visita, Simone!
      Sobre o roteiro, eu acho que suas pernas aguentam, sim, o tranco! rs Nossas pernas sempre nos surpreendem em NY!
      O que eu não sei é se você terá tempo de fazer tudo isso. Como pretende cobrir uma área relativamente grande, pode ser que você acabe se distraindo pelo caminho e demorando mais tempo que o previsto. Mas deixe como está e adicione flexibilidade, porque NoHo e NoLita são áreas bem pequenas que também combinam perfeitamente com um roteiro SoHo.
      Aliás, agora, relendo seu comentário (não sei se entendi direito), mas é importante explicar que East Village é totalmente outro bairro, iclusive, bem diferente de NoLita e NoHo. Então se você for fazer: Union Sq + Washington Sq. + East Village + Nolita + NoHo, aí fica corrido e entra a questão de ter a flexibilidade que falei lá em cima. Mas se for só Union Sq + Washington Sq + Nolita + NoHo, você consegue tranquilamente, porque a área de cobertura diminui significativamente. 🙂

Deixe um Comentário