Flanando por NY

Chelsea em Nova York

Confesso que nos primeiros dias em Nova York eu estava meio azedinha. Fiquei meio enjoada de ficar vendo vestidos de noiva que a gente já sabia que não ia comprar. Me dava a maior aflição de pensar que existia toda uma cidade enorme do lado de fora da loja, cidade que eu poderia estar aproveitando. Foi só no terceiro dia que eu consegui passear mais.

Antes de irmos na Kleinfeld, paramos na Murray’s Bagels para o café da manhã. Fiquei feliz, porque era bem pertinho da loja e eu estava realmente com saudades daquelas bagels gigantes.
A Kleinfeld é muito grande, e é um misto de loja com ponto turístico, porque tem vários souvenirs pra comprar. Infelizmente, não encontramos nada lá pois a maioria dos estilistas que interessavam à noiva em questão precisavam ser encomendados com mais de 6 meses de antecedência. Para pronta entrega lá, só as samples. Então você tem que ter quatro sortes: a sample ser do seu gosto, do seu tamanho, no seu orçamento e estar em bom estado (muitos estavam manchados ou rasgados). Não fomos sortudas.
Em seguida passamos pelas lojas da região, como a Bath, Bed and Beyond e a Container Store. Não sei se é porque eu sabia que não poderia exagerar muito no tamanho das malas ou se eu realmente não estava no mood de compras. O fato é que nem me animei muito em nenhuma das lojas.
Então, chegou a hora nos separarmos. Não lembro onde minha irmã e minha mãe foram (deve ter sido Macy’s), mas não tem problema porque não ia postar sobre isso mesmo. rs

Fui para o Chelsea Market, que era pertinho, passeei um pouco por lá, comprei brownies delícia na Fat Witch (indispensáveis, viciei a família toda!). Estava meio cheio, acho que pelo horário de almoço. Não culpo ninguém, porque se eu trabalhasse lá perto, almoçaria lá também. Aliás, trabalhando aqui em SP, eu gostaria de almoçar lá hoje mesmo! Peguei um queijo quente (com bacon e cebolas caramelizadas) no Friedman’s Lunch. Já adianto que nem consegui comer inteiro porque, apesar de muito bom, era muito gorduroso e até eu tenho um limite. Mas, continuando… Pedi o almoço pra viagem, porque a idéia era levar pra comer no High Line Park, já que não tinha um banquinho livre dentro do mercado.
Foi aí que o destino agiu. Na confusão do mercado cheio, acabei saindo por uma porta diferente, que não era aquela mais próxima da escada do High Line. Não que fosse uma longe caminhada até lá, mas eu dei de cara com uma oportunidade tão melhor (isto é, oportunidade que não envolve escadas).

14th Street Park, em Nova York

Foi um almoço tão agradável! Eu realmente dei sorte aquele dia. Sol brilhando, pouco frio, e o vento também não estava muito forte, apesar de ser perto do rio. Ele levava o saquinho do meu almoço se não tivesse nada segurando, mas não era forte o suficiente pra me fazer passar frio.

Depois subi até o High Line de elevador (#pilantra) e fui caminhando na direção Downtown. Andei um pouco pelo MeatPacking District e fiquei com vontade de entrar em vários restaurantes. Muitos deles tem aquela fachada podrona-fake, sabem? Eu acho meio boboca, mas ADORO! No bairro também tem muitas lojas legais, de estilistas bem famosos, como o nosso Carlos Miele e a diva Diane von Furstenberg. Mas nessas lojas eu nem entrei; as vitrines que mais me interessaram foram de lojas que eu nem lembro o nome, provavelmente porque não são muito conhecidas minhas, mas que tinham umas roupas diferentes-porém-usáveis, bem do jeito que eu gosto. Lógico que também não entrei nessas, porque os preços me faria sofrer com certeza. Ignorance is bliss.

Achei uma Sephora bem legal lá no Meatpacking, viu? Não era exatamente enorme, mas estava muito bem abastecida e com lotação agradável. Me diverti muito com um dos vendedores, que foi quem me ajudou a escolher minha cor da base Maestro Armani (base deusa, aliás, recomendo fortemente!). Foi a primeira Sephora da viagem (mas não a única 😉) e eu saí toda pimpona com a minha sacola pequenininha (12 passos). Duas novidades me deixaram muito contente; primeiro, foi descobrir que agora a Giorgio Armani agora é vendida na Sephora (mas acho que não em todas as unidades) e, segundo, a nova modalidade de check-out sem filas. Os vendedores agora carregam aqueles iPods que passam cartão e você já paga tudo na hora. Vi isso também na Sephora de San Francisco, e foi uma delícia não ter que entrar na fila do caixa durante a Black Friday!
High Line Park e West Village, em Nova York
Caminhei pelo West Village, comprei cupcake (Sweet Revenge), vi muitos lugares de comprar e lugares de comer (passei vontade)… Passeei tanto pelo que já me sentia em casa; até comecei a estabelecer uns paralelos com meu bairro aqui em SP.

Eu, felizona, esperando a pizza!
Voltei pro hotel e minha irmã tinha saído com uns amigos, então minha mãe e eu resolvemos sair pra comer pizza! Voltei pro Village, é claro! Fomos na John’s of Bleecker. A fachada é um toldinho vermelho sem nada de especial, mas lá dentro é bem aconchegante e a pizza é muito boa! Pedimos a média e nos fartamos. Sobrou só um pedaçinho!

Pizza do John's of Bleecker, em Nova York

 

Vai para Nova York? Pesquise no Booking mais de 800 opções de hospedagem na região!

 

Deixe um Comentário