Muito além da roupa suja

Experimentando o Airbnb

Ainda não tinha comentado aqui no blog mas, no segundo semestre, irei para a Europa com duas amigas da faculdade. Para os meus pais, isso foi um grande choque. Eles não sabiam que eu tinha amigas da faculdade.

Vamos passar uns 20 dias entre Londres, Dublin, Edimburgo e Paris. Decidir os destinos não foi tão complicado, graças a Deus. Na verdade, acho que foi uma grande complicação que cada uma enfrentou individualmente muito antes de resolvermos viajar juntas. O fato é que, quando juntamos nossas idéias, era tudo muito parecido e os ajustes foram bem poucos.

Enfim, já compramos a passagem! É aquele momento em que eu fico muito feliz, esqueço todo o dinheiro que gastei e mando um SMS pra minha irmã dizendo que VOU pra tal lugar.       Adoro a sensação de oficializar uma viagem!

A etapa seguinte foi um pouco mais complicada: decidir hospedagem. Foi tranquilo escolher albergues em Londres e Dublin. Em Edimburgo foi um pouquinho pior, pois é mais difícil achar um hostel bem localizado, com preço bom e que oferecesse banheiros privativos. Essa do banheiro era bem importante para nós e ficamos felizes de conseguir resolver.

Indo para Paris, a coisa complicou um pouco. Ficamos encurraladas. Os albergues melhores cotados no HostelWorld eram bem afastados dos lugares que nos interessam (em outras palavras, o Centro).

Difícil escolher entre o hotel caro e o albergue longe. Resolvi assuntar no Airbnb e ver quanto sairia um aluguel de apartamento no centro de Paris para 7 dias em setembro… MESMO PREÇO DO ALBERGUE LONGE!

Print da página inicial do airbnb
Na página inicial você coloca os dados de busca

O Airbnb, pra quem não conhece, é uma rede de acomodações. Você pode alugar uma casa ou apartamento, um quarto na sua casa, ou até uma cama extra. Todos os usuários do site podem alugar uma acomodação ou, então, disponibilizar um anúncio. É mais seguro porque o pagamento pode ser feito com PayPal e também, como existe a mediação do site, você fica um pouco mais blindado contra pilantras. Tenho amigos que já usaram o site e todos eles recomendam.

Para começar a procurar um lugar para dormir, eu “disse” meu destino, datas da viagem e para quantas pessoas eu precisava reservar. Ele retornou muitos anúncios. Mas é possível filtrar por vários parâmetros! Tipo de imóvel (quarto compartilhado, apartamento compartilhado, apartamento inteiro, etc), preço, localização, ammenities (internet, permissão para animais, TV, elevador, aquecimento, etc)… Eu fui só pelo preço e localização, pois eram os fatores mais impactantes, e encontrei opções muito boas.

Listagem de apartamentos em Paris no Airbnb
Clicando em uma das opções, você pode ver fotos (importante!) e ler as resenhas deixadas por outros hóspedes (importantíssimo!)

Você pode fazer as buscas à vontade mas, para efetivar qualquer coisa é preciso um cadastro. Depois de quase uma semana e centenas de emails, finalmente concordamos em um lugar. Ontem eu fiz a oferta e fomos aceitas! 🙂

Pois é… tem esse fator no Airbnb. O dono do imóvel pode concordar ou não em alugar para você. Eu fui aceita na minha primeira tentativa, porque sou infinitamente carismática. Mas uma precaução que eu tomei foi de deixar o meu perfil no site o mais completo possível, com fotos, descrição, tudo aquilo que a gente costuma ter preguiça de fazer. Fiz assim exatamente para tentar diminuir minhas chances de rejeição, porque eu tenho síndrome de vira-lata, sempre vou pensar que ninguém vai querer me dar abrigo.

No momento da proposta, você pode escrever uma mensagem pro dono do imóvel, e isso eu também fiz e recomendo que você faça, por via das dúvidas. Explique o motivo da viagem, quem são vocês e porque gostaram do apartamento, não é difícil e eu também acho que isso aumenta as chances de aceitação.

Nesta hora, você também insere os dados do pagamento. Eu recomendo muito o uso do PayPal, por ser uma segurança adicional. O valor é pago à vista e com todas as taxas inclusas, mas a cobrança só é concretizada se sua oferta for aceita.

Voltarei toda metida da viagem e encherei a paciência de vocês contando sobre a época que eu MOREI em Paris. Uma semana, rs. Enfim, por enquanto, essas são as dicas que eu posso dar a respeito desse serviço. Em algum momento, no segundo semestre, eu volto pra contar o resto! 😉

2 Respostas para Experimentando o Airbnb

  1. Olá Mônica, estou adorando seus posts. Também amo viajar e vou usar o Airbnb em Los Angeles em dezembro. Já aluguei um ap em Beverly Hills, estou na maior expectativa! Você já usou??

    • Oi, Neide!
      Já usei a minha reserva no airbnb e foi tudo certo, a experiência foi ótima!
      Pretendo fazer ainda um post sobre isso, mas não tenho idéia quando entra. Mas pode ir tranquila pra LA, vc vai adorar!

Deixe um Comentário