Muito além da roupa suja

Seguro Viagem

Resolvi pegar carona com a reportagem do Fantástico de ontem, e falar um pouquinho sobre seguro viagem.

Em 1997, com 11 anos, eu tive um quadro de herpes zoster durante uma viagem à Disney. Esse tipo de herpes é como se fosse uma reincidência de catapora, mas localizada. Pra vocês terem uma idéia da zica: esse tipo de herpes é mais comum em pacientes acima de 50 anos e pessoas com sistema imune debilitados. E em mim, porque sou assim, diferenciada.  Rs

Na época, eu nem sei se a minha família sabia o que era seguro saúde. Eu sei que não tínhamos, e que não aceitaram receita dos meus pais (médicos brasileiros) para comprar o remédio na farmácia. Tivemos que ir numa clínica, pra eu passar em consulta e pegar uma receita.
Então, imaginem o prejuízo do tempo de passeio em potencial que foi perdido na clínica, a consulta e os medicamentos que não foram baratos (mas também não levou ninguém à falência, como no caso de uma internação), mais o tempo de espera no Walgreens até o medicamento ficar pronto. Quem conhece o Walgreens sabe bem o prejuízo que dá ficar uma hora passeando por lá, de bobeira (muitas compras!).

Depois dessa viagem, passamos sempre a adquirir o seguro viagem quando saímos do país, mesmo que fosse uma viagem mais curtinha. É um dinheiro que você gasta pra não usar. Mas, se precisar uma única vez, a economia já vai valer por todos os seguros comprados! Lá em casa, nós nunca mais precisamos. Mas tá na cara que a zica vai acontecer bem da vez que eu não comprar, então prefiro me garantir. Afinal, o custo é super pequeno quando você coloca em perspectiva com os outros gastos da viagem.

Para quem quer usar o seguro do cartão de crédito, recomendo que estude direitinho o valor da cobertura e o que está incluso. Quem assistiu o Fantástico, sabe que 30 mil euros podem ser gastos num piscar de olhos dependendo da gravidade do caso. Eu mesma, estava toda pimpona até descobrir que o seguro do meu cartão de crédito só cobria morte e invalidez. Então, pra mim, tem sempre valido a pena fazer o seguro por fora do cartão de crédito.

Por muito tempo usei a Assist Card, que foi indicação de um primo que é corretor. Meus pais aliás, usam até hoje. Como disse, nunca precisei usufruir da cobertura, mas o atendimento, pelo menos, sempre foi ótimo! Uma vez, deixamos para fazer o seguro no aeroporto e a impressora estava quebrada. A atendente foi, mais tarde, até o portão de embarque nos entregar o cartãozinho com o número da apólice. Achei super legal essa atenção e acho a Assist Card uma boa opção para quem não fala inglês.

Recentemente, descobri a World Nomads. Recebi a dica de uma amiga e, agora só faço com eles! É o melhor custo-benefício, porque é o menor custo pela maior cobertura. Eles oferecem coisas diferentes como cobertura para eletrônicos, esportes radicais, eventos, documentos, bagagem, atraso de vôos. No plano Explorer, tem até cobertura para acupuntura! Rs

A empresa fica na Dinamarca e, só isso já é o suficiente para eu confiar. Se você é um pouco mais criterioso, saiba que a World Nomads é recomendada também por gente muito maior do que eu, como a Lonely Planet e a National Geographic. Você faz todo o processo online e, se  no meio do caminho, resolver esticar a viagem, dá pra também prolongar a cobertura do seguro pelo site, sem perrengue nenhum. Eu adoro tudo que é resolvido pela internet, odeio telefone, então é uma boa vantagem para mim.

Na barra lateral é possível fazer sua cotação de seguro pela World Nomads.

Alguém já precisou usar seguro viagem? Deu tudo certo? Teve algum problema? Escreva sua experiência nos comentários e ajude os outros viajantes! 🙂

*Política de Transparência: O Desfazendo as Malas recebe comissão da World Nomads nas vendas realizadas pelos links. Todos as recomendações (locais e serviços) foram testadas e aprovadas pela blogueira.

12 Respostas para Seguro Viagem

  1. Meu marido é meio noiado com o seguro viagem, e eu fazia pouco caso, até que precisei usar o Seguro Viagem em fevereiro de 2012 em Orlando, tive uma intoxicação alimentar. Não tive problemas, o atendimento foi bem eficiente (Vitalcard). Não conhecia a World Nomads! Vou dar uma olhada para a viagem deste ano!

    • Oi, Gabi!

      É um investimento que vale a pena! Obrigada por deixar seu depoimento com a Vitalcard! É sempre bom saber da experiência de quem precisou usar!

      bjs

  2. Fiz uma cotação pra minha proxima viagem agora da World Nomades pelo seu link e ela me ganhou na cobertura pra Shark cage divin, haha. Quando chegar a hora de comprar, vou experimentar ela.

  3. Sempre adquiro Seguro Viagem quando vou ao exterior e também nos roteiros nacionais. Há anos tenho usado o Assist Card (www.assist-card.com.br). Para mim eles são os melhores. Já precisei acionar o atendimento por motivo emergencial de saúde e fui surpreendida. Eu os recomendo.

  4. Olá pessoal.
    Eu, meus pais sempre usamos Global GTA, atendimento excelente, as dúvidas são sempre esclarecidas e se falar com o pessoal no chat sempre tem descontos bacanas no boleto. Vou pra Irlanda fazer intercambio de um ano em agosto e com certeza é com eles que contrato de novo, é tudo online, mto p[ratico http://www.seguroviagemglobal.com.br. Aaahhhhh vale lembrar que eles são transparentes demais, fala tudo, se cobre, se não cobre, recomendo 🙂

  5. Oi!!! Estou indo pro Chile em agosto e fiz o WN, só tenho uma preocupação: o atendimento é todo em ingles e não sou fluente em ingles. Você tem alguma dica?? Tomara que eu não precise usar pra nada, mas se acontecer, como devo agir??? Bjos

    • Acho q não precisa ser super fluente, não. Confere no site, mas eu tenho qse certeza q fazem atendimento em mais de um idioma. Na pior das hipóteses, um funcionário do hotel pode te ajudar! 😉

  6. Precisei usar meu seguro viagem nas minhas ultimas ferias. Passei muito mal no mexico, em Cancun e acabei deixando pra ir ao medico na Cidade do Mexico, onde eu ficaria mais alguns dias. Passei algumas horas no hospital fazendo exames e tomando soro e a conta ficou nos inacreditaveis 1000 dolares. Eu tinha feito seguro da World Nomads e la na hora o hospital nao conseguiu contato com a Dinamarca (escritorio oficial do seguro) e nao quiseram me liberar para depois acertarem com o seguro. No fim, para acabar logo com aquilo, eu paguei tudo com meu cartao de credito e em seguida ja scaneei tudo e pedi reembolso a eles. Em 18 dias eu recebi o valor devido no meu cartao de credito, descontado os 100 dolares previsto nas normas da WN. Super recomendo, tudo por email, sem burocracias, 100% eficiente. Atendimento todo em ingles, mas foi ok para mim.

Deixe um Comentário